Surf pode combater superbactérias

Cliff Kapono, um bioquímico havaiano, possui uma teoria que busca compreender a relação entre os genes resistentes das bactérias e a exposição constante que os surfistas têm no oceano. Dentro e fora do mar os esportistas estão saturados com diversas moléculas e bactérias que a pessoa ‘normal’ não está sempre exposta.
Como um estudo recente comprovou que os comportamentos de cada indivíduo e o ambiente externo contribuem para a composição química da pele, o havaiano começou a utilizar o mesmo tipo de análise. Ele precisa pesquisar se ficar imerso em um mar de bactérias marinhas altera em grande parte a comunidade microbiana dos surfistas.
Não se trata somente dos serem humanos, mas dos diferentes micróbios, bactérias, fungos, vírus e como eles influenciam nosso estado de saúde”, disse Kapono.
Cliff e seu grupo estão tentando descobrir até que ponto o mar pode propagar os genes que causam a resistência.
Sem grandes dificuldades, o bioquímico encontrou no laboratório a evidência da transferência de genes resistentes em bactérias do mar a estirpes associadas aos intestinos humanos. Agora é necessária uma evidência mais concreta acerca do assunto.